e-mail

esqueceu a senha

resultado de exames

relação de exames

O Laboratório São Lourenço desenvolveu uma relação completa de procedimentos para você obter informações sobre seu exame, de como ele é realizado e instruções corretas de jejum e coleta (modificar o texto)

HIV 1 E 2 PESQUISA – DUAS METODOLOGIAS [HIV-2T]

Exame [mnemônico]

HIV 1 E 2 PESQUISA - DUAS METODOLOGIAS [HIV-2T]

Material [mnemônico]

SANGUE [S]

Condições

Tempo de jejum

Questionário

Comentários

Palavras chaves P 24 SIDA AIDS Sindrome da Imunodeficiencia Adquirida HIV 1 E 2 pesquisa de antigeno e anticorpos Quimioluminescencia e Eletroquimioluminescencia Antigeno p24 Instruções - É obrigatório pedido médico. - Para realização deste exame, é necessário que o cliente apresente um documento com assinatura e foto. - Devido à possibilidade de resultados falso-positivos para a sorologia de Anti HIV 1 e 2 em pacientes recentemente vacinados para o influenza H1N1, recomenda-se que seja adotado um intervalo mínimo de 30 dias entre a vacinação e a realização do teste (Nota técnica nº 128/2010 ULAB/D-DST-AIDS-HV/SVS/MS). - Pacientes que tenham tomado a vacina e desejam realizar o exame no período inferior a 30 dias podem realizá-lo normalmente. Não há necessidade de se aplicar termo de responsabilidade. - Para clientes das unidades Hermes Pardini: O resultado deste exame não pode ser visualizado pela internet e deve ser retirado em uma de nossas unidades. Outros Laboratórios - Enviar em tubo de transporte de amostras fornecido pelo laboratório Hermes Pardini. - Devido ao alto grau de contaminação que pode ocorrer em amostras de Sorologia para HIV, essas amostras não poderão sofrer fracionamento, devendo ser enviadas em tubos separados dos demais exames. - Para evitar contaminação pedimos: . Fazer coleta de sangue com material descartável. . Utilização de tampas, tubos e ponteiras novas na separação da amostra. . O Transporte da amostra para HIV de cada paciente deve ser feito separadamente das demais amostras e de outros exames para HIV de outros pacientes. **** Comunicado do HP sobre a Portaria 151 de 14/10/2009: - Em 14 de outubro de 2009, a Secretaria de Vigilância em Saúde Substituta do Ministério da Saúde publicou nova portaria para a realização de exames anti-HIV. Entre as novidades, talvez a mais importante seja a necessidade de liberação de laudo com base em análise de única amostra, com a necessidade de ser confirmar este resultado em nova amostra. Comentários A infecção pelo HIV 1 e 2 leva à Síndrome da Imunodeficiência Adquirida - SIDA. Testes de triagem como CLIA, ECLIA ou ELFA devem ser confirmados por ensaios mais específicos (Western Blot ou imunofluorescência). Falso-positivos podem ocorrer em testes imunoenzimáticos nos pacientes com anticorpos anti-HLA DR4, outras viroses, vacinados para influenza, hepatites alcoólicas, portadores de distúrbios imunológicos, neoplasias, multíparas e politransfundidos. Filhos de mãe HIV positivo possuem anticorpos maternos, não sendo, pois, a sorologia definitiva no diagnóstico. Os testes imunoenzimáticos têm sensibilidade e especificidade em torno de 98%. Indivíduos de alto risco, com um teste enzimático positivo, apresentam valor preditivo positivo de 99%. Assim, testes imunoenzimáticos positivos de forma isolada, não podem ser considerados como diagnostico de infecção pelo HIV, sendo necessária a realização do Western Blot como teste confirmatório. Pacientes com fase avançada da doença podem não apresentar reatividade ao Western Blot. Cerca de 20% da população normal não infectada apresentam resultados indeterminados no Western Blot. A Portaria No. 151, de 14 de outubro de 2009 (Ministério da Saúde) normatiza o diagnóstico sorológico da infecção pelo HIV em maiores de 18 meses de idade.