PESQUISA MOLECULAR DE CROMOSSOMO X-FRAGIL [FRAGIL]

PESQUISA ENTEROBACTERIA RESISTENTE CARBAPENEMICOS [CT-CRE]
Maio 3, 2018
pH [PH]
Maio 3, 2018
Ver todo o Blog

Exame [mnemônico]

PESQUISA MOLECULAR DE CROMOSSOMO X-FRAGIL [FRAGIL]

Material [mnemônico]

SANGUE [S]

Condições

Tempo de jejum

Questionário

Comentários

Palavras chaves Estudo molecular de X-frágil Gene FMR1 Síndrome de Martin e Bell Screening molecular de X frágil SXF Pesquisa molecular do cromossomo X frágil Instruções – E obrigatório informar o sexo e idade do paciente. Comentários A Síndrome do X frágil é a segunda causa mais comum de retardo mental (RM), após a síndrome de Down, e responde por cerca de metade dos casos de RM ligado ao X. Manifesta-se, em geral, por retardo mental moderado a grave nos homens e mais leve entre as mulheres acometidas. Podem ocorrer também macrorquidismo, fácies alongada, orelhas grandes e prognatismo, além de distúrbios de comportamento. O gene X frágil (FMR1) foi caracterizado em 1991 e contém uma repetição em tandem da sequência de trinucleotídeos (CGG). A mutação responsável pela síndrome do X frágil envolve, na maior parte dos casos, a expansão deste segmento repetido, tornando-o instável. Os estudos sobre a transcrição do FMR1 mostraram que os indivíduos com o gene normal e aqueles com a pré-mutação produzem igualmente o mRNA. Já nos indivíduos afetados, o mRNA não e detectado, indicando que o gene está silencioso. A pesquisa molecular de X-frágil tem o objetivo de identificar indivíduos normais, pré-mutados e totalmente mutados. Devido à possibilidade de grandes expansões, no caso de alelos totalmente mutados, a técnica, apesar de não identificar o número de repetições, possibilita visualizar um padrão de bandas que sugere as expansões completas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

(33) 9 8877-7788