e-mail

esqueceu a senha

resultado de exames

relação de exames

O Laboratório São Lourenço desenvolveu uma relação completa de procedimentos para você obter informações sobre seu exame, de como ele é realizado e instruções corretas de jejum e coleta (modificar o texto)

EPIDERMOLISE BULHOSA – EXONS 73-76 GENE COL7A1 [COL7A1]

Exame [mnemônico]

EPIDERMOLISE BULHOSA - EXONS 73-76 GENE COL7A1 [COL7A1]

Material [mnemônico]

SANGUE [S]

Condições

- Sangue total (EDTA).

Tempo de jejum

Questionário

Comentários

Palavras chaves Epidermólise Bulhosa recessiva tipo Hallopeau-Siemens Epidermólise Bulhosa recessiva tipo não-Hallopeau-Siemens Epidermólise Bulhosa dominante Éxons 73-76 Gene COL7A1 3p21.3 Comentários Siemens, forma clássica de epidermólise bulhosa, as bolhas estão presentes desde antes do nascimento. É possível que ocorra a fusão entre a língua e a parte baixa da boca ocasionando uma diminuição da cavidade oral. A erosão esofágica pode causar disfagia. As erosões nas córneas podem conduzir a perda da visão. As bolhas nas mãos e pés podem gerar cicatrizes que fusionam os dígitos na parte média das mãos e pés. O risco de carcinoma de células escamosas está entorno de 90%. Por outro lado, na epidermólise bulhosa recessiva tipo não-Hallopeau- Siemens as bolhas estão localizadas nas mãos, pés, joelhos e cotovelos, com ou sem implicação das áreas de flexão e tronco, e sem a severidade que apresenta a epidermólise bulhosa recessiva tipo Hallopeau-Siemens. Na epidermólise bulhosa dominante as bolhas são frequentes na metade ou extremidade das mãos, pés, joelhos e cotovelos. A distrofia nas unhas, especialmente no dedo gordo do pé, é uma característica especial deste tipo de epidermólise bulhosa. O gene implicado nos três casos é o COL7A1. O sequenciamento dos éxons 73, 74 e 75 deste gene detecta 75% dos casos de epidermólise bulhosa dominante. O sequenciamento completo do gene têm uma taxa de detecção de 95% dos casos de epidermólise bulhosa dominante e recessiva. Para o estudo de grandes deleções e duplicações é utilizada a técnica de MLPA. Incidência: 6.5:1000000 em população EUA. A frequência de portadores: 1:370.